Uma pequena joia sobre as relações entre cristãos e muçulmanos

CM WS capa

Começamos este ano de 2015 desejando a todos os nossos leitores um ano cheio de bênçãos e paz, e também oferecendo-lhes, com muita satisfação, a publicação de nosso primeiro livro eletrônico.

Trata-se da obra Cristãos e Muçulmanos: o que eles dizem uns sobre os outros?, que nos é gentilmente cedida por seu compilador, William Stoddart, a quem vivamente agradecemos.

Este livro é, a nosso ver, uma pequena joia. Ele mostra, de forma irrefutável, ao mesmo inteligente e bela, como Cristianismo e Islã tiveram um reconhecimento mútuo e uma convivência espiritual ao longo dos séculos.

Os exemplos, alguns muito curtos, outros um pouco mais extensos, coletados por William Stoddart são preciosos e falam por si. Vejamos um deles:

“A comunidade ortodoxa oriental na península do Monte Atos, no nordeste da Grécia, ainda conserva os estatutos ou cartas originais conferidas ao Monte Atos pelos sultões turcos. Estes documentos foram escritos numa bonita caligrafia árabe, e sempre começam com as palavras: “Em Nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.” Eles garantiram a liberdade religiosa dos monges e também a independência do governo monástico.

“A comunidade monástica floresceu sob o domínio turco, mas, tão logo os turcos foram expulsos da Grécia, os monges do Monte Atos começaram a ter problemas com o governo grego modernista e secular.”

Ou este:

“Dentro da Caaba, em Meca, as paredes estavam cobertas com imagens de ídolos. Osmã, companheiro de Mohammed, estava pintando as paredes para cobrir essas imagens. Entre elas, havia um ícone da Virgem Maria e do Menino Jesus. Colocando sua mão sobre o ícone, para protegê-lo, Mohammed disse a Osmã que cobrisse de tinta todas as outras imagens, com exceção de uma de Abraão.”

Ou este:

“Está registrado que, nos primeiros dias do Islã, o Califa Omar recusou um convite do Patriarca Ortodoxo de Jerusalém para que rezasse na igreja do Santo Sepulcro, por temer que, se o fizesse, os muçulmanos, dali em diante, poderiam querer transformá-la numa mesquita.

“O Califa Omar viu alguns cristãos leprosos quando passava por Jabiya, na Síria. Ele imediatamente ordenou que lhes fosse dada uma grande soma de dinheiro do fundo de caridade, e que recebessem sua esmola diária, querendo dizer que deveriam ser alimentados sem ser cobrados por isso.”

Recomendamos vivamente aos leitores a leitura, além de tudo muito fácil e agradável, deste pequeno grande livro. Para chegar ao arquivo web, dividido em várias páginas, siga este enlace. Para o arquivo em pdf, clique aqui.

* * *

Atualização de 2 de janeiro de 2014: por solicitação do autor, alteramos o título do livro para Cristãos e Muçulmanos: O Que Eles Dizem Uns dos Outros, alteração esta que já foi efetuada nas versões francesa e alemã da obra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s