Ao moldar a obra, o artista tradicional molda a si mesmo

Frithjof Schuon, Peinture

A arte tradicional provém de uma criatividade que combina uma inspiração celeste com um gênio étnico, e isto à maneira de uma ciência que inclui regras, não de uma improvisação individual; ars sine scientia nihil.

A obra artística ou artesanal tem duas perfeições, a da superfície e a da profundidade: na superfície, a obra deve ser bem feita, em conformidade com as leis da arte e com as exigências do estilo; em profundidade, ela deve poder comunicar a realidade que ela exprime. Isto explica por que a arte tradicional se refere ao esoterismo quanto à forma e à realização espiritual quanto à prática: pois a forma exprime a essência, e a compreensão da forma evoca e exige a superação desta em vista da essência ou do arquétipo.

O artista, moldando a obra — a forma —, molda a si mesmo; e como a razão de ser da forma é comunicar a essência ou o conteúdo celeste, o artista vê a priori este conteúdo no recipiente formal; realizando a forma a partir da essência, ele se torna essência ao realizar a forma.

(Frithjof Schuon)

Uma ideia sobre “Ao moldar a obra, o artista tradicional molda a si mesmo

  1. fernando figueira borgomoni

    A arte, entendida dessa maneira, ganha um sentido de ligação entre o divino e o humano que a exalta e valoriza. Senhor, tende piedade de nós que já não conseguimos fazer arte como essa, pois estamos nos perdendo de Ti.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s